O Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil (TRC)

CTe - quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Você esta em:

Quando se pensa em Transportes de Cargas Rodoviárias (TRC), geralmente pensamos em um caminhão saindo do ponto de origem para o seu destino rodando tranquilamente pela estrada, ou até mesmo um caminhão carregado ao extremo subindo uma serra e puxando uma fila de carros. Não deixa de estar certo, mas é apenas um pedaço do Transporte que conhecemos, já a parte que envolve a área operacional, administrativa e fiscal do Transporte, torna o segmento um dos mais complexos para se trabalhar.

O conceito de Transporte é: “parte da logística responsável pelo deslocamento de cargas em geral e pessoas, através dos vários modais existentes, ao longo da cadeia de abastecimento. Em resumo, Transporte é o movimento de pessoas e mercadorias de um local para outro”, independente do segmento.

Devido à falta de investimentos em outros modais de Transporte, a grande parte das cargas que circulam pelo país são realizadas por meio rodoviário, sendo mais de 60% do volume de mercadorias movimentadas no Brasil, com isso o seu custo representa cerca de 5,5% do Produto Interno Bruto do país.

Dentro do segmento de Transporte há diversos tipos de cargas e com elas suas particularidades:

  • Fracionada;
  • Fechada ou Completa;
  • Granel;
  • Líquida;
  • Sólida.
  • E-commerce;
  • Retalhista;
  • Perecíveis;
  • Milk Run;
  • Perigosas;
  • Especiais:
  • Cargas Vivas;
  • Entre outras;

Outro ponto que interfere diretamente no Transporte é a legislação que, a cada ano vem ficando mais exigente, fazendo com que o segmento de Transporte tenha sofrido uma mudança radical nos últimos anos.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é o órgão que regulamenta todos os serviços relacionados a Transportes terrestres no País. Todo transportador tem a obrigatoriedade de se registrar junto a ANTT, sejam empresas de Transporte ou transportadores autônomos.

Toda essa atividade é regulamentada e fiscalizada pelo governo em diversos níveis e, por isso, a documentação de cada carga transportada é obrigatória. Os diferentes tipos de Transportes de cargas no Brasil determinam o tipo de documentos emitidos que devem acompanhar as cargas durante todo o processo de Transporte até a entrega.

Documentos necessários para transportar uma mercadoria:

  • Nota Fiscal Eletrônica – NF-e;
  • Averbação de cargas (Seguro);
  • Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica – DANFE;
  • Conhecimento de Transporte Eletrônico – CT-e;
  • Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais – MDF-e;
  • CIOT (Código Identificador da Operação de Transportes) regulamenta e controla o contrato de terceiros.

Esse sistema tem se simplificado, tornando-se mais rápido e seguro com o avanço dos sistemas de informatização, diminuindo a necessidade de diversos documentos físicos.

A quantidade de documentos necessários para o transporte rodoviário de cargas é alta, por isso, é preciso estar sempre atento a todos os detalhes para evitar problemas junto aos órgãos competentes.

Com as mudanças que vêm acontecendo de forma muito rápida no segmento, os transportadores e principalmente as transportadoras necessitam de um sistema especialista para controlar, planejar e ajudar na tomada de decisões.

Neste contexto a TN3 apresenta o HERMES TMS, ferramenta que tem como objetivo a facilidade de uso, segurança na aplicação, diminuição de tempo em execução dos processos operacionais, com isso aumentando a produtividade de seus usuários, atendendo os prazos e exigências através da automatização de processos internos e externos estendendo vantagens a clientes, colaboradores e parceiros, sendo assim um facilitador na tomada de decisão dos Gestores.

 

Galeria de Imagens